Amazon Web Services (aws) – Criando um storage usando Red Hat Enterprise Linux (RHEL)

Fizemos um post falando sobre como usar storages na Amazon. Naquele teste usamos o Linux da Amazon. Fazendo um novo teste usando Red Hat Enterprise Linux (RHEL), o resultado não foi o mesmo. Mostro aqui alguns detalhes para podermos fazer o attachment corretamente.

Ao ver os filesystems disponíveis não temos nada disponível:

# df -h
Filesystem            Size  Used Avail Use% Mounted on
/dev/xvde1            5.7G  1.9G  3.8G  34% /
none                  296M     0  296M   0% /dev/shm

 

No teste foi feito um attachment em /dev/sdj, mas ao buscar nas partições ou através de um fdisk, ela não aparece.

# cat /proc/partitions
major minor  #blocks  name
 202       65    6291456 xvde1
 202      464    1048576 xvdad

Como comentado, o mesmo no fdisk:

# fdisk -l
Disk /dev/xvde1: 6442 MB, 6442450944 bytes

Disk /dev/xvdad: 1073 MB, 1073741824 bytes

A diferença em questão é que aparece um filesystem com 1GB que foi o espaço que tinha alocado para fins de teste. Então o /dev/xvdad é o que estamos procurando. Vamos seguir nos passos do post anterior, agora com a identificação que encontramos.

mkfs -t ext3 /dev/xvdad
echo “/dev/xvdad  /bkp  ext3     noatime  0 0” >> /etc/fstab
mkdir /bkp
mount /bkp

E para fechar executamos um df para ver o que temos definido:

# df -h
Filesystem            Size  Used Avail Use% Mounted on
/dev/xvde1            5.7G  1.9G  3.8G  34% /
none                  296M     0  296M   0% /dev/shm
/dev/xvdad           1008M   34M  924M   4% /bkp

Era isto. O filesystem /dev/xvdad está montado em /bkp. 

Este ponto de dúvida eu tinha levantado no fórum da AWS, que já deixo como dica para trocar ideias com a comunidade. Aproveitei para explicar por lá o que eu tinha feito.  

E para fechar, fica a dica deste artigo do José Papo sobre o que é cloud computing. Neste post achei uma referência muito legal, sobre o que realmente precisamos estar atentos! Em saber diferenciar virtualização de cloud computing. Até a próxima! 

Quem escreveu este post? Daniel Wildt é CTO da Trevisan Tecnologia e curte ajudar o time a melhorar continuamente. Site no danielwildt.com e twitter @dwildt.

Anúncios

Montando uma área de storage no Amazon Web Services (AWS) EC2

Aqui vai um tutorial bem simples, caso você queira criar uma área de storage extra para uma instância EC2. Cada instância é inicializada com uma área padrão, tipo 6Gb/8Gb no caso de um Linux ou 35Gb no caso de um Windows. Aqui vão os passos:

1. Criar uma instância, a dica é sempre nos testes criar instâncias micro. Se quiser gastar menos, é sempre legal também criar em US East (Virginia). Lembre sempre de dar um nome a sua instância, assim fica fácil de “localizar” a mesma quando você tiver várias. 

2. Criar um storage, lembre que o storage é cobrado por tamanho, então para fins de teste, brinque com 1Gb. Coloquei como “/dev/sdf” ou a próxima entrada disponível.

3. Faça o attachment, ligando o storage a sua instância. Aqui a importância de ter definido um nome no passo 1.

Feito? Não…

Agora é preciso preparar este storage para poder ser usado. 

Fiz estes testes usando uma uma instância micro, com o Linux padrão da Amazon. 

Os passos para preparar a instância são os seguintes: 

4. Execute o comando “mkfs -t ext3 /dev/sdf” para criar o file system.

5. O comando “df -h” não vai mostrar ainda a instância. Mas se você executar um comando como “cat /proc/partitions“, já vai ser capaz de ver as áreas de storage, com seus nomes internos (estilo xvda1 e xvdf). 

6. Agora vamos adicionar e associar a nossa nova área, e montar. 

   echo “/dev/sdf  /bkp  ext3     noatime  0 0” >> /etc/fstab

   mkdir /bkp

   mount /bkp

7. Executando um “df -h” já faz um resultado diferente: 

Filesystem            Size  Used Avail Use% Mounted on

/dev/xvda1            7.9G  921M  6.9G  12% /

tmpfs                 299M     0  299M   0% /dev/shm

/dev/xvdf            1008M   34M  924M   4% /bkp

Estes testes foram executados usando uma Micro Instance do EC2, lembre-se de nos seus testes usar tudo o que facilitar e que seja gratuito

 

Amazon Web Services (AWS) – Um novo mundo

Começamos a fazer alguns testes com o Amazon WebServices. O pessoal da Caelum já lançou um post fazendo um “alô mundo”, então fica a dica de olhar por lá o post deles. 

Neste início estamos brincando muito com o Amazon EC2 – Elastic Compute Cloud (onde podemos criar instâncias) e com o EBS (serviço de storage).

Vou deixar de cara alguns links que são importantes de se ler logo. Um primeiro, para entender todos os serviços disponíveis, em um artigo que funciona como um resumo. Está em inglês: http://www.codeproject.com/KB/IP/UnderstandingAWS.aspx.

 

Para quem está começando, sempre é bom entender o que se pode fazer de graça. Sim, durante um tempo temos acesso a testar serviços. E é sempre importante lembrar que tudo é cobrado pelo uso. Então se você deixar uma máquina ligada, mas sem necessidade, é como deixar uma torneira aberta. Seu cartão de crédito vai sentir. 🙂

O blog do AWS é legal para saber das novidades, no http://aws.typepad.com/. E claro, atualizando aqui a versão brasileira do blog, no http://aws.typepad.com/brasil/. Quem tem ajudado a comunidade brasileira é o José Papo

E uma que ouvi no JavaOne Latin America foi sobre o Rain Toolkit, que tem uma série de facilidades para manipular os recursos do AWS. Note o uso correto da palavra recursos. Obrigado. 🙂

Tá, então o negócio é ficar bom em arquitetura de cloud? É estudar muito sobre DevOps? Na verdade, eu tenho ficado muito bom em calcular quanto se vai gastar com serviços

Nas próximas semanas vamos ir postando algumas novidades e testes que estamos fazendo. 

O que dá para dizer é que é um novo mundo, onde realmente podemos entender como otimizar recursos dos nossos servidores de banco, aplicação, desenvolvimento, teste e por aí vai. Note outra vez o uso correto da palavra recurso. Obrigado novamente.