Automatização utilizando Ant

Desenvolvedores que iniciaram seu aprendizado na linguagem Java utilizando alguma IDE, muitas vezes desconhecem como funcionam os processos responsáveis por transformar o código escrito, em software propriamente dito. Neste post irei mostrar um pouco sobre os conceitos por trás destes processos, como compilar e geração de arquivos .jar, e como automatizar estas tarefas utilizando o Ant.

Os arquivos .class

Quando desenvolvemos um software escrito em Java, não é nosso código em si que é utilizado para executar o programa. Antes de rodarmos o código que escrevemos, o mesmo deve ser compilado, etapa esta que a maioria das IDEs faz automaticamente. A compilação consiste em transformar o código fonte, legível para nós, em código de máquina ou bytecode, que é a forma que a JVM (Java Virtual Machine) compreende e sabe executar. Enquanto os arquivos que escrevemos possuem a extensão .java, este arquivos gerados, escritos em bytecode, são arquivos .class.

Os arquivos .jar e .war

A não ser que você esteja escrevendo seu primeiro Hello World, dificilmente seu programa em Java terá somente uma classe. O arquivo .jar é o executável do Java, nele se encontram os pacotes com todas as classes e arquivos do seu software. Os arquivos .war funcionam de forma semelhante, mas são criados para aplicações web, nele também se encontram todas as classes e arquivos do projeto. O arquivo .war é utilizado para instalar a aplicação no servidor web como Jboss ou TomCat.

Apache Ant

Apache Ant, ou somente Ant como é mais conhecido, é uma ferramenta que automatiza além dos processos mostrados anteriormente muitos outros. Você pode por exemplo criar e remover diretórios, mover arquivos entre eles, rodar seus testes unitários e gerar relatórios.

Instalação

Baixe o instalador do Ant aqui. Descompacte o arquivo no local de sua preferência. É necessário inserir o caminho da pasta “bin” do Ant às variáveis de ambiente do Windows. Copie o endereço da pasta bin que vai ser algo como “C:\Program Files\apache-ant-1.9.2\bin”. Vá nas propriedades do computador e acesse a opção variáveis de ambiente. Procure a variável Path e adicione no final de seu valor o caminho para o diretório copiado anteriormente. Isso é tudo que precisa ser feito, para conferir se a instalação ocorreu corretamente, apartir do prompt de comando digite: ant –version. Se tudo estiver certo, uma mensagem com a versão de seu Ant será exibida.

O arquivo build.xml

As operações do Ant, mais conhecidas como tasks, funcionam através de configurações escritas em um arquivo XML. Através de comandos simples as tarefas que vimos anteriormente podem ser automatizadas facilmente. Vou demonstrar isso através de um exemplo bem simples com o objetivo de demonstrar na prática como se monta um arquivo de build. Crie os arquivos build.xml e TesteAnt.java, e copie os trecho abaixo, ou baixe o exemplo pronto no meu GitHub.

public class TesteAnt {
public static void main(String[] args) {
System.out.println(“Hello Ant!”);
}
}

<project name=”teste” basedir=”.” default=”executar”>

<property name=”classes” location=”classes”/>
<property name=”arquivo” value=”TesteAnt” />

<target name=”diretorios”>
<mkdir dir=”classes” />
</target>

<target name=”apagar”>
<delete dir=”classes”/>
</target>

<target name=”compilar” depends=”diretorios”>
<javac srcdir=”${basedir}” classpath=”${classes}” destdir=”${classes}”/>
</target>

<target name=”empacotar” depends=”compilar”>
<mkdir dir=”build/jar”/>
<jar destfile=”build/jar/TestAnt.jar” basedir=”${basedir}/classes”>
<manifest>
<attribute name=”Main-Class” value=”main.TesteAnt”/>
</manifest>
</jar>
</target>

<target name=”executar” depends=”empacotar, apagar”>
<java jar=”build/jar/TestAnt.jar” fork=”true”/>
</target>

</project>

Por trás do exemplo

<project name=”teste” basedir=”.” default=”executar”>

Esta linha é o início do arquivo de build, onde é declarado o nome do projeto, o diretório base, e a task padrão que será executada pelo Ant.

<property name=”classes” location=”classes”/>
<property name=”arquivo” value=”TesteAnt” />

A tag property serve para declarar variáveis que podem ser utilizadas dentro do arquivo de build.

<target name=”diretorios”>
<mkdir dir=”classes” />
</target>

A tag target serve para definir um alvo para o Ant. Uma vez definido, você pode chamar o alvo dentro do arquivo, ou até de fora através do comando “ant nomeDoAlvo”. Mkdir cria um diretório com o nome recebido por parâmetro.

<target name=”apagar”>
<delete dir=”classes”/>
</target>

Delete apaga o diretório com o nome recebido. Não se preocupe não estamos criando e apagando em seguida o diretório, você já irá entender.

<target name=”compilar” depends=”diretorios”>
<javac srcdir=”${basedir}” classpath=”${classes}” destdir=”${classes}”/>
</target>

A tag javac, assim como o comando de mesmo nome, compila os arquivos .java gerando como saída os .class escritos em bytecode

<target name=”empacotar” depends=”compilar”>
<mkdir dir=”build/jar”/>
<jar destfile=”build/jar/TestAnt.jar” basedir=”${basedir}/classes”>
<manifest>
<attribute name=”Main-Class” value=”main.TesteAnt”/>
</manifest>
</jar>
</target>

A tag jar empacota os arquivos indicados gerando como saída um arquivo jar. Já a tag manifest cria o arquivo manifest necessário para criação do pacote jar.

<target name=”executar” depends=”empacotar, apagar”>
<java jar=”build/jar/TestAnt.jar” fork=”true”/>
</target>

E a tag java  executa um arquivo .jar. A tag depends indica que a iniciação do target depende da finalização de outro, por isso no exemplo anterior o alvo “apagar” não será executado após o “diretorios”, e sim antes do alvo “executar”. Cuidado ao montar seu arquivo, se um target não for dependência de outro, ele só será executado caso seja declarado como default na tag project.

Executando

Para executar o arquivo é simples, basta abrir o prompt de comando, navegar até a pasta onde se encontra o arquivo “build.xml”, e digitar o comando ant, se tudo ocorrer bem, você terá uma pasta com o arquivo .jar e a mensagem “Hello Ant!” será exibida no console. Também é possível executar um target específico executando o comando ant nomeTarget.

Como disse anteriormente, este foi apenas um exemplo didático, o Ant possibilita automatizar muitas outras tarefas de seu projeto. Abaixo seguem alguns links interessantes para se aprofundar no assunto.

Links

Ant: http://ant.apache.org/

Documentação: http://ant.apache.org/manual/index.html

Lista de tasks: http://ant.apache.org/manual/Tasks/ 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s