Processos de seleção – como tratar um desenvolvedor?

A palavra aqui é feedback

Quando estamos contratando alguém, estamos criando uma relação. Entre a empresa e a pessoa que estamos conversando. Entre as pessoas que estão representando a empresa e a pessoa que está se candidatando. É um processo. Se der tudo certo, você tem uma pessoa nova na sua equipe. Se não der certo, você passou a conhecer uma pessoa que pode aprender e contribuir com sua empresa.  

Na lista de eXtreme Programming do Yahoo Groups, está rolando uma discussão sobre pedir “sample code” para os candidatos. Mandei minha opinião por lá, e coloco a mesma abaixo. Se você quiser saber mais sobre o nosso processo de seleção, fizemos alguns posts aqui e no meu blog também coloquei algumas coisas buscando ajudar profissionais nos seus processos de seleção e também networking. Mas aqui o foco é falar do processo de seleção. Termino com a mensagem que mandei lá na lista de discussão. 

In my company, we do coding dojos every week.  

During 1 hour per week we play with some sort of problem and experience different programming languages and put ourselves in situations to work with Pairing, Communication, Design (Unit Testing + Refactoring + OO + Patterns).  

With that, when we are hiring, we ask people to play with one of our problems, in the language we are mostly looking for at the moment. We ask people to play during 1 hour at most. We don’t need the code 100% done. We need some sort of code in order to talk to the candidate in another way. We want to check how the candidate play with feedback and small refactorings in the source code. When possible, we bring people to pair with us.  

Also, we have a good talk before and after, to check one specific thing: the attitude.  We want to make sure that the candidate attitude is aligned with our team attitude.  

And for those people who don’t pass this process, we give real feedback with references for extra study, saying where they  can improve. With that, we get new friends and someone to follow our process. 

Quem escreveu este post? Daniel Wildt é CTO da Trevisan Tecnologia e curte ajudar o time a melhorar continuamente. Site no danielwildt.com e twitter @dwildt.

Anúncios

Uma opinião sobre “Processos de seleção – como tratar um desenvolvedor?

  1. Valeu pelo ponto de vista Marcelo.É exatamente disso que se trata, a importância dada ao candidato. E isso não desrespeito apenas ao feedback, mas inclusive a maneira como são conduzidos os encontros e entrevistas.A maioria delas inclusive terceiriza uma empresa de recrutamento para trazer candidatos para as vagas, isso torna a relação totalmente impessoal e gera diversos transtornos.Gravamos um podcast a um tempo atrás sobre como "nós" enxergamos o processo de contratação, se você se interessar, dê uma olhada lá: http://ttlabs.cc/77616211Valeu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s